MERCADOS SÃO CONVERSAÇÕES

por | mar 6, 2015 | Artigos, Marketing Digital

Amigo empresário, sua empresa não interessa a mais ninguém, encare isso. Duro de ouvir certo? Mas é a verdade.

E o que você faz com essa realidade? Fecha as portas e se muda para o deserto? Claro que não, você muda o seu discurso, para de falar sobre o que você faz/vende e abre um canal para ouvir o que, aqueles que compram de você, querem falar. Diga às pessoas: “Estamos aqui. No que podermos ajudar a vocês entender nossos serviços ou produtos, estamos aqui. Faremos o nosso melhor.” Na minha opinião já é um belo começo.

Agora, cumpra essa promessa, estabeleça essa conversação com o seu mercado e se tiver condições (de pessoal e estrutura) para ampliar o diálogo com seus parceiros, fornecedores e até concorrentes, melhor para você e para seu mercado com um todo.

Pode parecer maluco, mas trocar informações, até mesmo com os seus concorrentes, pode fazer de sua empresa uma líder. No negócio de agências digitais, principalmente no Reino Unido, vejo isso acontecendo. Claro, é um mercado bem específico, já integrado de nascença no mundo digital e não se esperaria outra coisa dele, mas porque sua empresa não pode fazer o mesmo? O que, de verdade impede que isso aconteça?

Como conversar com seu mercado?

Exemplos de como estabelecer essa conversa podem ser problemáticos, modelos prontos aplicáveis em todas as situações podem dar a falsa impressão que a coisa toda pode ser encaixada em um modelo, como fazemos a muito tempo. Não acredito nisso, as coisas hoje em dia são muito mais complexas e paradoxalmente mais simples. O que queremos são relações mais pessoais, seja com um novo amigo online ou com uma marca.

Se eu fosse, hoje, montar a estratégia de presença online para uma marca, esse seria o meu norte: presença nas conversas. Estabelecer espaços de troca de informações, nos quais a relação de poder seja igual, seria o primeiro passo. Algo como abrir um balcão na rua e colocar uma placa: “Estou aqui. Quer conversar?”

As interações apartir desse momento só podem ser imaginadas, nunca previstas. Que tipo de informações, reclamações, pedidos virão daí? Não se sabe, mas o mais importante não é isso, é estar presente. É estabelecer um patamar de igualdade e fazer parte.

 

Uma via, duas vias, inúmeros caminhos.

Existem vários caminhos, possíveis para estar presente nesse mercado conectado, baseado nessa vida online e digital, que começa a se tornar standard e conforme muitos pregam, em pouco tempo vai fazer parte de nossa vida diária. A não ser que outra revolução venha tão rápida quanto a digital, esse vai ser o cenário. Todos conectados 100% do tempo. Você realmente tem noção do que isso vai fazer com seu negócio? Pode acabar com ele! Ou pode ser a sua salvação!

Isso também não importa muito, porque se reinventar faz parte do ser humano e o que hoje está fadado ao extermínio pode muito bem voltar renascido, a questão não é essa. A relação humana é que é a mais importante, encarar todos os aspectos da vida como conectado, para mim, precisa de uma visão mais ampla, pensando os negócios sob um ponto de vista social.

Vários estudos, como os publicadas pela Sysomos 0, atestam que depois do surgimento das Mídias Sociais, as pessoas mudaram ainda mais o seu comportamento perante as marcas. Hoje em dia marcas e pessoas são encaradas da mesma maneira. Ou melhor, marcas são vistas como personas.

O pensamento é o seguinte: redes sociais são grupos de pessoas com o mesmo interesse, compartilhando um “espaço digital”, trocando informações, impressões e experiências. Através dessa interação criamos mais que uma indentidade, estabelecemos relações de relevância com os seus integrantes. Se a sua marca está em uma rede dessas, ela é vista e analisada através dessa indentidade construída diariamente. E vai ser julgada nas mesmas bases de todos os componentes dessa rede social. Sem nenhum previlégio por ser uma marca, muito pelo contrário.

 

Desertos de uma empresa só

Portanto fazer parte de uma comunidade é mais que construir a sua. Você pode até construir sua própria rede social, mas como vai fazer para transformar aquele deserto digital em um campo fértil para conversas?

Como vai atrair as pessoas? Com conteúdo? Excelente! Mas como vai fazer a manutenção dele? E se as pessoas quiserem contribuir?

Estabelecer um diálogo faz com que as empresas precisem de:

  • Pessoal
  • Estratégia e planejamento
  • Recursos financeiros

E se as pessoas aceitarem o convite? Como fazer?

Como fazer para que sua comunidade não se torne um deserto de uma empresa só?

 

A vantagem de entrar nas comunidades já estabelecidas

 

Na outra ponta estão as redes sociais já estabelecidas, como o Facebook 1, o Orkut e o Linkedin . Essas redes já estão estabelecidas, cada uma em seu nicho, com um número muito grande de usuários, conteúdo crescente e com oportunidades (e armadilhas) para todos.

Fazer parte de uma delas, pode fazer com que sua empresa alcance o Céu ou caia ao Inferno. Tudo vai depender de como você (e seus funcionários) vão conduzir as coisas. Preciso falar que: perfis falsos, informações maqueadas, virais disfarçados de dicas e coisas do tipo não são tolerados? Se preciso, você tem problemas.

É bem complexo entender toda a gama de redes socias, mesmo que trabalha na área não conhece tudo (desconfie de quem diz que conhece), nasce e morre uma a cada dia. Existem para todos os fins e com certeza, seja qual for o seu nicho de mercado, há um grupo de pessoas querendo falar com sua marca. Se faça presente, vamos coragem, pode ser difícil mas, se fizer da maneira certa, vai render bons frutos.

Conhecer o tipo de rede que você quer entrar é o primeiro passo. Depois, criar um espaço para sua marca, dentro da rede escolhida e monitorar as interações ali. Quando surgir algo de positivo, agradeça, partilhe e informe sobre as novidades boas. Na hora que as coisas ficarem complicadas, erros acontecerem, peça desculpas, entenda onde foi o erro, acerte e seja claro. Se você não tem condições de fazer o que lhe pedem, deixe isso explícito. Enganar as pessoas não é algo que se sustente numa comunidade em rede, uma hora alguém descobre e o jogo para você acabou.

Seja criando o seu próprio espaço ou entrando em algum já estabelecido o objetivo deve ser o mesmo: fazer parte. Essa é, na minha opinião, a tradução de uma conversa online. Estar integrado ao momento, se fazer presente, mais que ouvir e ser ouvido. Saber, que no fim do dia, sua marca pode ser lembrada.

Alex Rodrigues

Alex Rodrigues

Analista SEO

Sou um daqueles que ama o que faz, que tem nas veias, junto com sangue, zeros e uns. Membro do Google+ Create em Português.
Ler, escrever, fotografar são minhas paixões que me fazem querer contar cada vez mais histórias incríveis.
Sou publicitário de formação e Web de paixão. Atualmente trabalho como Analista de Otimização de websites para buscas (SEO), redator webGestor de Conteúdo.

Nenhum resultado encontrado

A página que você solicitou não foi encontrada. Tente refinar sua pesquisa, ou use a navegação acima para localizar a postagem.

Home     Serviços     Sobre     Contato     Privacidade     Termos

Rua Fernandes Vieira, 608 Porto Alegre, RS, Brasil

contato@projetomeusite-com-br.umbler.net

Parceria

Share This